terça-feira, 17 de julho de 2018

Turismo de Base Comunitária: Planejamento e Sustentabilidade no Assentamento Canaã Rochedo, MS

Entre os dias 07 e 08 de julho aconteceu o I Curso de Formação em Turismo de Base Comunitária (TBC) no Assentamento Canaã em Rochedo – MS. Com 11 anos de criação, o assentamento Canaã congrega 20 famílias e atua com agricultura familiar, cuja produção consiste de hortaliças, legumes, mandioca, milho, cana de açúcar, rapadura, leite, queijo, peixe e tantos outros produtos resultantes do trabalho e zelo com a terra.

A comunidade que tem como marca uma admirável hospitalidade, participou de forma ativa do I Módulo do curso de formação em Turismo de Base Comunitária: Planejamento e Sustentabilidade. Entre os ministrantes estiveram Don Eaton com o tema Municípios sustentáveis, Simone Mamede com o tema Conceitos de Turismo de Base Comunitária (TBC), Maristela Benites com Planeamento e Sustentabilidade no TBC, e Marta Melo que abordou sobre hospitalidade e meios de hospedagem em TBC. Participou também do evento o vereador Osvaldo de Figueiredo Mariano (Maguila) que falou da importância de Políticas Públicas para o Turismo de Base Comunitária em Rochedo.

Foram dois dias entre atividades teóricas e práticas, resultando no planejamento participativo do Turismo de Base Comunitária na Comunidade Canaã, e muitos sorrisos. Como técnica de planejamento participativo foi utilizado o mapa falado onde todos os participantes expuseram seus anseios, propostas, produtos e serviços para fins do TBC, além de se localizarem no território. Houve bastante interação e integração de grupo, onde prevaleceu o diálogo e a participação. A comunidade compreendeu a importância da união, cooperação e colaboração para o alcance de objetivos comuns, do cuidar da terra e dela se beneficiar e do respeito a todos os elementos da biodiversidade.

Todos os participantes se encantaram com a rica biodiversidade presente e especialmente as crianças despertaram o olhar para a observação de aves, atividade, aliás, privilegiada no lugar. Várias espécies fizeram a alegria da garotada e também dos adultos. Até urubu-rei apareceu nas fotografias!

Vale ressaltar que todas as refeições foram preparadas com produtos locais, como saladas, mandioca, limonada, além dos pães, doces e queijos saborosíssimos. Tudo preparado com muito carinho e dedicação.

Assim, o Turismo de Base Comunitária avança na construção e consolidação de territórios sustentáveis no Mato Grosso do Sul com roteiros turísticos que valorizam a cultura e a natureza, uma alternativa de geração de renda e uso sustentável da terra. É um turismo de inclusão, empoderamento e protagonismo social.

O encerramento contou com as palavras mais faladas: Gratidão, amizade e amor!

Esse projeto integra o "Programa Municípios Sustentáveis Conservando o Berço das Águas do Cerrado e as Cabeceiras do Pantanal", realizado pela parceria entre WWF-Brasil, Instituto Mamede e Instituto Quinta do Sol - projeto CEPF/BAP.


Abaixo, depoimentos de alguns participantes:

Joacir (morador): vimos que não somos apenas amigos, mas formamos uma família da “agricultura familiar”. Foram dias inesquecíveis, com muito aprendizado e que ficarão guardados para sempre.


Dejanir (morador): só temos a agradecer e a dizer que se depender de nós faremos o nosso melhor para tirarmos do papel tudo o que planejamos nesses dias de curso.

Eliane Mamede (assistente social, participante externa): aprendi sobre hospitalidade e pretendo replicar o que aprendi aqui.

Lucimara (moradora): o curso nos fez pensar, refletir, caminhar e sair da zona de conforto. Fiquei encantada ao ver o morro Santo Antônio de tão perto a partir do binóculo. Queria que vocês voltassem sempre, porque foi o curso mais animado que já tivemos aqui! Gratidão!

Lídio (morador): planejamento foi a palavra fundamental neste curso.

Dona Benita (moradora): tivemos dois dias de princesas, longe dos trabalhos domésticos com a oportunidade de participar do curso, trocar muitas informações e aprender juntos.

Marta (palestrante): potencialidade todos comprovamos que a comunidade possui, resta a cooperação, vontade e o planejamento para prosseguir. Aqui foi dado o ponta pé inicial.

Don (coordenador do projeto CEPF BAP pelo WWF Brasil): cada curso é surpreendente em resultados, participação, ótimas ideias e muita criatividade. Todos estão de parabéns!

Zézão: Foi um momento importante para conhecer o que é o Turismo de Base Comunitária. Estou satisfeito em poder aprender e em saber que pode ser feito em cada área da comunidade. Precisamos desenvolver cada vez mais o companheirismo.

Zulene (guia de turismo, participante externa): Estou muito grata pela oportunidade de participar desse curso. Duas coisas em especial me chamaram atenção: o empenho do Sr. José, o mais ancião do assentamento, e o encanto das crianças em descobrir a observação de aves livres. Não é difícil levar esperança e contagiar o mundo com boas ações. Parabéns a todos.

Simone (instrutora e idealizadora do curso, pelo Instituto Mamede): Turismo pode ser um negócio sustentável, mas além disso nos permite sonhar e acreditar na concretização dos sonhos. Lembrando que um sonho que se sonha só é só um sonho, mas cada membro da comunidade ao sonhar junto pode transformar os sonhos em realidade. É importante dirigir o olhar e as ações na construção de territórios sustentáveis em que se prioriza o zelo pela terra, se busca conviver melhor com a natureza para então viver plenamente e atingir a compatibilidade dos aspectos social, ambiental e econômico.