terça-feira, 20 de junho de 2017

Pré-fórum de Educação Ambiental do Mato Grosso do Sul



O pré-fórum de Educação Ambiental do Mato Grosso do Sul ocorreu no Museu da Imagem e do Som no dia 09 de junho de 2017. Como foi esse dia? foi um dia de reviver a história da Educação Ambiental do Mato Grosso do Sul. Em poucas horas revivemos mais de 30 anos de persistência e resistência de atores chave e de trabalhos contínuos de Educação Ambiental no Mato Grosso do Sul. Um dia de compartilhar sonhos, reavivar ideais , fortalecer e inspirar novas iniciativas. Na bagagem a esperança de um mundo melhor, mais colaborativo, mais justo e integrador. A Missão? Assegurar a Educação Ambiental enquanto Política Estadual que represente e fortaleça os anseios, a inclusão e a participação efetiva do cidadão sul-mato-grossense Sigamos!!! O caminho é árduo, sinuoso e nada plano. No entanto, promissor. Que continuemos em busca desse sonho que sonhamos juntos!!!!!

Como foi a programação?





Semana do Meio Ambiente em Imagens e Sons: O Patrimônio Natural Inspirando o Patrimônio Histórico-cultural


 “Meio ambiente em imagens e sons – o patrimônio natural inspirando o patrimônio histórico cultural”. Este é o tema de uma programação intensa que será realizada pela parceria entre Instituto Mamede de Pesquisa Ambiental e Ecoturismo, Secretaria e Fundação de Cultura e o Programa de Pós-graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional da UNIDERP durante a Semana do Meio Ambiente, com o objetivo de conduzir os participantes a uma reflexão sobre a  importância da conservação preservação dos nossos recursos naturais e da sustentabilidade regional.

De 5 a 10 de junho, o Museu da Imagem e do Som, a Biblioteca Isaias Paim, os parques Anhanduí e Imbirussu e a Uniderp Agrárias vão receber o público com atividades gratuitas como exposições de fotografias e ilustrações, exibição de filmes, discussões sobre a temática ambiental, oficinas de pintura e ilustração, apresentações musicais e de dança, Dia “D” Catalogação das Aves do Campus da Uniderp Agrárias e Lançamento de placas das aves dos parques Imbirussu e Anhanduí.
Uma das organizadoras do evento, Simone Mamede, do Instituto Mamede de Pesquisa Ambiental e Ecoturismo , diz que a ideia é fazer com que as pessoas consigam vislumbrar a onipresença da imagem e do som do meio ambiente. “A gente o tempo todo se depara com imagens e sons no nosso cotidiano. O desafio é perceber a interação das inúmeras conexões, e fazer uma reflexão dessas relações, da conectividade que existe entre ciência, cultura, história, paisagem, arte. Tudo está interligado no ambiente que é de todos e que inspira cuidado”.
Para Simone, a Semana congrega o propósito de transformar os olhares para a questão ambiental usando a imagem e o som, acessibilizar o trabalho científico à comunidade de forma geral. “Buscamos trazer os resultados de pesquisas em meio ambiente numa linguagem acessível a toda a comunidade, pois desenvolvemos pesquisas científicas para aprimorar o conhecimento e melhorar as relações humanas com a natureza. O conhecimento aprofundado e sistêmico pode ser ferramenta relevante para políticas públicas socioambientais, contribuindo para a sustentabilidade de territórios e melhorando a qualidade de vida das atuais e futuras gerações. Sustentabilidade, ciência cidadã, cultura e conservação são alguns dos temas desta semana repleta de diálogos, imagens e sons”.
A realização da Semana fica a cargo do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, por meio da Secretaria e Fundação de Cultura, Instituto Mamede e Uniderp, tendo como parceiros a WWF, WCS, Instituto Arara Azul, Instituto Quinta do Sol, Imasul, IFMS, Uems, Turismo-Uems, Projeto Tatu-Canastra, Funlec, UFMS, SED e Planurb.




quinta-feira, 30 de março de 2017

Lançamento da Placa de Aves do Parque Estadual do Prosa na Capital Morena

Lançamento da placa sobre aves do Parque Estadual do Prosa, Campo Grande-MS. Foto: José Sabino
Placa sobre as aves do Parque. Foto: José Sabino
Campo Grande (MS) – A observação de aves em Campo Grande recebeu um importante estímulo e valorização. Biólogos, pesquisadores técnicos e apreciadores têm agora um instrumento auxiliar para facilitar a prática na Capital. No sábado (11), foi lançada no Parque Estadual do Prosa, uma placa de identificação de aves, que traz o nome científico, o nome popular e informações das espécies que podem ser encontradas na área. É a segunda Unidade de Conservação gerenciada pelo Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul) a receber este equipamento – o primeiro foi o Parque Estadual das Várzeas do Rio Ivinhema.
Lançamento da placa sobre aves. Foto: José Sabino
A instalação da placa é resultado de parceria realizada entre o Imasul, a WWF Brasil e o Instituto Mamede de
Pesquisa Ambiental e Ecoturismo. Ao todo, dez locais de Mato Grosso do Sul, dentre eles cinco Unidades de Conservação gerenciadas pelo Imasul, receberão placas de identificação de aves. De acordo com a WWF-Brasil, a intenção, ao produzir a placa, é promover a educação ambiental, mostrando a diversidade biológica das unidades de conservação e áreas verdes, muitas vezes não percebida pelo público visitante.
De acordo com o gerente de Unidades de Conservação do Imasul, Leonardo Tostes Palma, “a parceria do Imasul com o WWF Brasil e o Instituto Mamede vai estimular a observação de aves. A nossa intenção é disponibilizar essas unidades de conservação para quem realmente observa. São pessoas que têm consciência na hora de entrar nessas áreas e nos auxiliam com um trabalho muito importante. Vamos agora analisar a proposta de credenciar os observadores de ave para que eles tenham acesso facilitado nesses parques”.
Júlia Boock, analista de conservação do Programa Cerrado Pantanal, do WWF-Brasil, afirmou que o WWF-Brasil “apoia e incentiva ações de conservação em UCs e entende que a visitação com fins de observação, contemplação e educação ambiental, auxilia a conservação das espécies, uma vez que integra o homem ao meio ambiente, despertando nele o sentimento de pertencimento”.
Lançamento da placa sobre aves. Foto: José Sabino
A sócia-diretora do Instituto Mamede, Simone Mamede explicou que a atividade realizada no Parque Estadual do Prosa é resultado de uma força-tarefa entre diversos atores que lutam por um mundo mais harmônico entre o ser humano e a natureza. “Esta iniciativa de fomento da observação da vida silvestre através de instrumentos como a placa interpretativa, diálogos ou de diversas outras formas de linguagem interativa vêm estimulando o empenho de cidadãos cientistas e o fortalecimento da educação para a sustentabilidade regional, formando assim novos agentes de proteção da biodiversidade, em especial para as Unidades de Conservação”, disse.
Contemplação da Placa das Aves do Parque do Prosa.
 Foto: Simone Mamede
O Instituto Mamede deu o aporte técnico-cientifico na área de ornitofauna para a elaboração dos textos de cada
espécie de modo a torná-los mais compreensíveis pelo público geral, na pré-seleção das espécies mais representativas juntamente com o WWF, além da mobilização da comunidade juntamente com integrantes do COA Campo Grande num processo de Ciência Cidadã com ações no Shopping Norte Sul Plaza e em redes sociais.
O Instituto teve ainda, o papel de identificar a artista plástica que desenvolve trabalhos na área de biodiversidade e dialogar para que o processo de criação incluísse informações relevantes sobre as estruturas morfológicas de cada espécie sem, contudo, perder a essência individual e a sensibilidade da obra artística impressa em cada arte produzida. Todos as ilustrações das aves foram realizadas pela artista Lídia Coimbra.
Para a pesquisadora em ornitofauna e educadora ambiental, Maristela Benites, a ação realizada no sábado “foi simbólica, mas representou momento marcante de mobilização cidadã em torno de temas relevantes e atuais, como: unidades de conservação, controle social e participação efetiva da comunidade na gestão de áreas públicas protegidas, monitoramento da biodiversidade em unidades de conservação, educação ambiental e ciência cidadã. Ressalta-se ainda, que participaram do evento pessoas das mais diversas áreas de atuação profissional e de diferentes faixas etárias, provando que a temática ambiental é de interesse de toda a sociedade.
Diálogo sobre observação de aves nas áreas verdes da cidade. Foto: José Sabino

Lançamento da placa de aves do Parque. Foto:Simone Mamede
Equipe reunida no Parque do Prosa. Foto: Gleidson Melo


Texto: Comunicação IMASUL, Fotos: José Sabino. Simone Mamede e Gleidson Melo