terça-feira, 29 de maio de 2018

A observação de aves alça voo na Oficina de Observação e Identificação de Aves no 14° Festival América do Sul Pantanal, 2018


Quando o assunto é passarinho, todo mundo tem uma história pra contar. Isso nos leva a reafirmar o que já foi constatado: esses animais ajudam a contar a história da civilização humana e do dia a dia das pessoas. Mesmo sem saber se aquela ave é ou não passarinho, é fato que elas nos ajudam a melhor perceber o mundo a nossa volta e nos enchem de encanto.

Entendendo que as aves representam significativa expressão da nossa cultura, o 14° Festival América do Sul Pantanal ocorrido de 25 a 27 de maio do corrente ano, em Corumbá, Mato Grosso do Sul, trouxe, de forma singular, a Oficina de Observação e Identificação de Aves
do Pantanal e Arredores.

Em menos de 12 horas em campo foram observadas 116 espécies de aves, com muitos lifers a vários participantes.
Na primeira saída a campo, no Parque Natural Municipal de Piraputangas, encontramos a choca-da-bolivia (Thamnophilus sticturus), espécie restrita à porção oeste do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, estados fronteiriços à Bolívia, onde se fazem presentes as matas secas chiquitanas. Primeiro encontro (lifer) absoluto para muitos observadores do curso!

À tarde, no passeio de chalana pelo rio Paraguai, as surpresas e encanto dos primeiros encontros ttrouxeram ainda mais alegria e sabíamos que a partir dali consagramos, definitivamente, um novo novo contingente da nossa irmandade, extensiva ao círculo já muito forte Brasil afora: os passarinheiros de vida livre. 

O rio Paraguai está no auge do seu pulso de inundação em Corumbá-sede. Água pra todo lado e a vida se renovando nos arredores onde as águas alcançam. Em virtude das águas altas as “aves clássicas” do Pantanal não foram avistadas nas passarinhadas (tuiuiús, curicacas, colhereiros e outros dependentes de águas mais baixas), mas em compensação as aves de mata e arbustivas deram um show à parte e o espetáculo foi simplesmente sensacional – não restando outro adjetivo. Do passeio resultaram: saí-canário (Thlypopsis sordida), saci (Tapera naevia), arredio-do-rio (Cranioleuca vulpina), carretão (Agelasticus cyanopus), alegrinho-do-chaco (Inezia inornata), figurinha-de-rabo-castanho (Conirostrum speciosum), mariquita (Setophaga pitiayumi), incontáveis sanhaços-cinzentos (Tangara sayaca), cardeais (Paroaria capitata), japus (Psarocolius decumanus) e tantos outros.

E lá vai uma chalana navegando no remanso do rio Paraguai levando sonhos, comunhão, esperanças, descobertas e vidas atentas a outras formas de vida pantaneiras.

A oficina que foi realizada de 25 a 27 de maio pela equipe do Instituto Mamede de Pesquisa Ambienta e Ecoturismo, com apoio e coordenação da gerência de Patrimônio da Fundação de Cultura do MS, teve entre seus resultados o fortalecimento do Clube de Observadores de Aves, COA – Corumbá, a comunhão dos participantes no que se refere à conservação da biodiversidade local e muitos "lifers" - primeiro encontro com diversas espécies. A lista das espécies registradas encontra-se disponível na plataforma colaborativa de ciência cidadã – Táxeus. Confira aqui:  https://taxeus.com.br/lista/11514.




Inspirados nas aves e seu modo de vida, a observação naturalista pode melhorar as relações sociais, o respeito entre pessoas e delas pelo mundo natural. Sim, a nossa cultura deve muito às aves!!




As lições apreendidas pelos participantes e ministrantes estão descritas a seguir:







"Gratidão pela oportunidade!!! Aprendizado e muitos lifers. Corumbá alça voo a partir dessa oficina. Equipe 10. Estamos juntos, parceiros!!" Nancy Proença (Agente de Turismo)



"Transformador! Um curso de observação de aves que me fez enxergar a vida com outros olhos, cada lifer é uma alegria indescritível. Tenho certeza que nunca me esquecerei desse curso".
Gabriel Oliveira (Acadêmico de Biologia)



"A oficina de Observação de Aves do Instituto Mamede foi de maneira insofismável a 3. Visão do Pantanal" Reginaldo Barbosa Faleiros









"Lifer é a palavra que define minha experiência com a equipe do Instituto Mamede. Muito obrigado
pelo aprendizado, companheirismo e principalmente pela amizade que criamos. Aprendemos a olhar as aves e também a construir laços de amizade."
Rafael (Acadêmico de Biologia)



"A oficina de observação de aves foi um despertar para um infinito de possibilidades. Uma semente que foi plantada em solo fértil. Grupo maravilhoso! E certamente contribuirá para a geração de um novo olhar rumo à preservação e conservação da biodiversidade. Gratidão Simone e Maristela." Neide Proença.


"Sempre me surpreendendo com as oportunidades proporcionadas. Mais uma vez consegui a visualização de muitas aves e tive o primeiro encontro com muitas especies (lifers) capazes de melhorar o meu trabalho como ilustradora. Obrigada Instituto Mamede por estar presente em mais um curso." Lidia Coimbra (Artista Visual)



A oficina me proporcionou uma experiência encantadora de observação de aves no Pantanal! Muito obrigado pelo conhecimento transmitido e pela ampliação de visão do que temos de especial aqui na nossa região.
Daniel Irineu (Biólogo)




"A oficina de Observação de Aves do 14° FASP 2018 me proporcionou novos conhecimentos e
aprendizado e aguçou meu olhar para o encantamento e inspiração para observação de aves, além de terapia natural. Admiração e gratidão pelo trabalho do Instituto Mamede."
Wanda Faleiros (Educadora Ambiental)

"A Oficina foi somente o começo dessa história, pois agora em diante nasceu um interesse mais detalhado de observar os pássaros e buscar conhecer os nomes, o lugar onde ele habita. Nesses dias de oficina tive a sensação boa de calmaria e paz para perceber esses seres lindos e únicos. A natureza é linda, e as aves com seus cantos são encantamentos. Adorei!! Esse grupo foi ótimo e os orientadores foram sensacionais. Foi um prazer participar do curso e desse grupo. Obrigada por tudo!!!" Lenice (Guia de Turismo)


"Oficina incrível, repleta de bons sentimentos e aprendizado. O olhar apaixonado das ministrantes fez todos se apaixonarem por cada ave, cada detalhe, cada lifer, uma emoção única!!! Parabéns, o encantamento proporcionado se multiplicará porque o amor merece ser compartilhado!! Gratidão por tudo." Isabel (Guia de Turismo)




"Com a Oficina tive a oportunidade de aprender, conhecer e reconhecer as aves do Pantanal. Estive nessa vivência com pessoas maravilhosas que me ensinaram a olhar para o horizonte, sempre
buscando por paixões, paixões que voam e nos deslumbram, que nos contagiam e nos fazem querer contagiar ao próximo, com esse novo olhar para o céu." Amanda Maciel (Turismóloga)


Foi muito prazeroso ministrar essa oficina de Observação e Identificação de Aves porque tivemos parceiros incríveis, como a equipe de patrimônio da Secretaria de Cultura do MS, os cursistas e as aves. Saber que a oficina fortaleceu o Clube de Observadores de Aves de Corumbá que está em plena criação nos deixou muito felizes!! Desejamos sucesso a todos e que tenham muitos encontros com esses seres tão encantadores que são as aves. É o patrimônio natural inspirando o patrimônio histórico e cultural!!
Maristela Benites e Simone Mamede (ministrantes da oficina)























Nenhum comentário:

Postar um comentário